Homenagem ao mestre da loucura -Antonin Artaud

.

Sombra

O vão infinito da porta
sente-se violentamente invadido
pela sombra monstruosa,
engolindo o mínimo de serenidade
firmemente segura entre os dedos,
conquistada na noite branca
tendo as incansáveis aranhas
como cúmplices totais
do aterrador silêncio,
insaciável engulidor do tempo,
impossibilitando qualquer perspectiva
de construção do pensar.
A sombra invade meu espaço
me traz os restos possíveis
do que a torna feliz.
Trazes além dos restos,
aquilo que te completa
no necessário sadismo.
Tenta curar-me de mim,
nunca perceberá, na sua fúria
que sou a doença e a cura
o veneno e o antídoto,
aquilo que se prontifica
à uma ampla destruição,
iniciando logo em seguida
a mais obsessiva construção.
Obedece às malditas regras
de antigas torturas,
essa assombrosa sombra.
Não percebe que a lucidez é ilusória
sendo o pensamento uma abstração.
Segue as malditas regras
infligindo-me um mundo
que não me cabe mais,
um mundo que não cabe em si
por não perceber-se como tal,
reduzido à um amontoados de atitudes
antecipadamente construídas e elaboradas
para sufocar qualquer outro mundo
onde a abstração nasça e cresça
desça,desobedeça,apareça...
Destruindo qualquer intuito
de ancorar-se na previsível
linearidade do pensamento
pragmático, conformista e estático.
A sombra insiste diariamente
com seus restos de algo.
em breve serão os meus restos
a presentear essa maldita sombra.

Ninil-Zé 2008











Antonin Artaud (1896-1948) desde cedo apresentou problemas de saúde e neurológicos. Aos 24 anos começou a tomar tintura de ópio para aliviar dores de cabeça. Tornou-se dependente. Foi internado diversas vezes. Sofreu vários tratamentos para loucura(!). Autor de teatro e cinema, teórico do teatro e autor de peças teatrais, poemas, ensaios, cartas (seu meio de expressão preferido).
Artaud questionou e subverteu a noção de LOUCURA em seus textos, como em "Van Gogh: O Suicidado Pela Sociedade".
Seus últimos poemas são sucessões de palavras sem sentido.


Artaud, o existencialista do desespero. Poetas e críticos afirmam que Artaud ampliou a visão de Rimbaud, do poeta vidente. Um artista francês chegou a afirmar que ARTAUD era a reencarnação de RIMBAUD e seu sucessor espiritual.

Artaud foi encontrado morto no quarto de um sanatório onde estava internado. Versões para sua morte: câncer no reto (a oficial), intoxicação com heroína e morfina ou suicídio.

.

Comentários

nihiland disse…
Ah.. eu amo Artaud!!!

Enfim alguém que o conhece!

Thanks God!