Raiz





O mesmo sangue
que tingiu o oceano
num rastro de desespero e dor,
encharcou o chão,
fertilizando a imprescindível
RAIZ.
Rompendo a mínima temporalidade orgânica
como valor absoluto.
Instaurando no ser
a essência e a amplidão da identidade,
erguida na ancestralidade.

No vermelho profundo
que inundou todo o caminho,
os passos encharcados e vacilantes
insistiram na luta e construção
de um outro mundo,
onde corpo e alma
descobriram-se coloridos.

Ninil-Zé


.

Comentários

Lis disse…
Apesar da extração dolorida dos primeiros tons, gostei do colorido final da sua poesia.
nihiland disse…
Tb adoro o que escreve...

É recíproco...

Sinta-se eternamente convidado a estar no meu blog...

^^

nda-nihiland