Dias Frios (R.G.)

Nesse ar frio
Sinto minha quentura
Sendo anulada pelo vento
Com o vento
Tristeza...

A tristeza me dá ausência
Ausência do ser humano
Sinto-me sozinho
Olhando para o céu
Sinto o vento cantar

Minha fraca memória
Nesses momentos se recordam
Das pessoas do meu passado
Ou até mesmo do meu presente
Meu presente sem laço

Como um incinerador
Quero que minha mente
Queime todas as minhas lembranças
Sem o meu sofrimento melancólico
Sem saudade do passado

Momentos ruins ensinam
Os felizes eu sei o que faço
Com os tristes eu escrevo
Aprendo...
Mesmo já cansado de aprender

Dias e noites
Me nego a crescer
Desisto de seguir em frente
Quero minha infância
Somente nos dias frios
Minha vida só segue

Comentários

Palavras!! disse…
" Com os tristes eu escrevo...aprendo""(...)
Que seja assim...nossa caminhada...onde possamos,por em palavras aquilo q nos aflige ou nos faz feliz.Belas palavras as suas..parabéns!
Ninil Gonçalves disse…
Não conhecia esse Rodolfo. Fiquei feliz com a descoberta e com a densidade da escrita. Tomara que muitos versos seus ressoem pelas "páginas" da Liga.

Abraço.