As pequenas ilhas de Manhattan.


art by ~Jez92


Você está em um país chamado Brasil.

Povoado por algo em torno de duzentos milhões de pessoas.
Um dos treze países na América do Sul e dividido em vinte e seis estados e um distrito federal.
Cada um desses estados possui um número imenso de municípios, em São Paulo, você encontrará 645 deles. Cada um desses locais será dividido em zonas, áreas, bairros, logradouros e espaços privados, e você viverá em um desses pontos.

Parece uma constatação óbvia, mas, você tem realmente certeza que está aqui?
Desculpe duvidar do seu senso de localização, porém, não existem muitas testemunhas de sua passagem, com a honrosa exceção dos bairros da periferia onde as necessidades e vazios do estado tendem a aproximar desconhecidos, há uma grande possibilidade de você não conhecer ou ser reconhecido por nenhum de seus vizinhos, na esquerda ou direita, acima ou abaixo.

Não entre em pânico, isso não significa que você é um pária.

Você terá seu universo particular dentro das paredes da sua casa e a partir dele irá exercitar o uso de pronomes possessivos e primeiras pessoas com suas coisas e seus valores.
Essa, afinal, será sua ilha de Manhattan.

Cheia de conceitos, que não são seus, mas que lhe servem.
Repleta por ideias, que não são suas, mas que lhe cabem.
E principalmente; claro, afastada do mundo externo.
Aquele que rodeia você e que não parece ter importância alguma diante das suas coisas, suas necessidades, medos e vontades.

Dessa forma e por definição, você é uma ilha, rodeada de mundo por todos os lados.

Por isso digo que talvez você não esteja mais aqui.
Aqui, ao redor de Manhattan, existem coisas que devem lhe parecer absolutamente inodoras, insípidas, exóticas e sem sentido.
Há uma distribuição cruel de riquezas, mas creio que isso não deve parecer importante, desde que você tenha sua parte.
Aqui existem pessoas que não conseguem escrever o próprio nome e, muitas delas, quando conseguem, são incapazes de pensar por qual razão escrevem ou leem algo.
Um fato menor, sem dúvida, já que esses bizarros estrangeiros nunca circularão em sua pequena Manhattan.
Aqui fora há fome, miséria e desigualdade. Não há médicos para cuidar ou professores para ensinar. Não há guarda, nem contexto.
Por isso não sei se você está realmente aqui, e não digo isso por achar que você e sua ilha não existem... Ao contrário, afirmo isso por ter a sensação que nós é que não existimos para você.
Por isso espero que não se sinta mal.
Sua ilha particular, para todos aqui do lado de fora, é um tipo de lugar mágico.
Uma Atlântida ou uma Hy Breasail.
Não um fato único, mas com certeza, uma lenda.
Você deveria estar em um país chamado Brasil.
Povoado por algo em torno de duzentos milhões de pessoas.
Um dos treze países situados na América do Sul e dividido em vinte e seis estados e um distrito federal. Cada um desses estados possui um número imenso de municípios, em São Paulo, você encontrará 645 deles.
Cada um dos 645 municípios terá seu aglomerado de ilhas de Manhattan.
Lugares especiais onde se exige que tudo funcione; que a dor seja cuidada, a segurança fornecida e a educação respeitada. Bastiões em que se comenta veladamente "Dane-se o que ocorre fora das ilhas!"

Você deveria estar em um país chamado Brasil.
São vinte e seis estados e um distrito federal e em cada um deles haverá uma ilha de Manhattan. Ideal, desenvolvida, separada e pequena.
São duzentos milhões de pessoas, lutando todos os dias de forma brutal, para conseguirem suas ilhas particulares. Não por seu país, note bem, mas pisando-se exclusivamente por suas ilhas.

Você deveria estar em um país.
Chamado Brasil.
Acho que gostaria da vista daqui.

Veria um incrível arquipélago.
Que nem mesmo existe.


...

Comentários

Unknown disse…
Lindíssimo texto, como sempre!